Siga-nos:
  • Wix Facebook page
  • SoundCloud App Icon
  • YouTube Classic
  • Wix Twitter page
  • issuu.png
  • google_play_icon___logo_by_chrisbanks2-d4s1i75.png
  • Apple-App-Store-icon

© 2014 - Fazendo Discípulos / Todos os Direitos Reservados 

Please reload

Recentes

CONTRIBUIÇÕES NA IGREJA

14/11/2019

1/10
Please reload

Destaques

Jesus Ressusitou

17/11/2014

“ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; porquanto não era possível fosse ele retido por ela”. At 2.24.

 

Se a morte de Jesus está coberta de sentido e de glória, quanto mais a sua ressurreição! As Escrituras nos mostram vários aspectos da ressurreição de Jesus e seu amplo significado. Vamos ver os principais.

 

A ressurreição de Jesus é a sua vitoria sobre a morte

 

E, quando este corpo corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal se revestir de imortalidade, então, se cumprirá a palavra que está escrita: Tragada foi a morte pela vitória. Onde está, ó morte, a tua vitória? (…) Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo. 1Co 15.54-57.

 

O que é a morte? A morte não é deixar de existir. A morte física ocorre quando o espírito e a alma deixam o corpo. Quando se quebra a unidade entre o espírito, a alma e o corpo, então aconteceu a morte física.

 

Para vencer a morte, Jesus necessitava de uma ressurreição física, a ressurreição do corpo: Um corpo de carne e osso, e não um espírito (Lc 24.39,40). Para provar isso, Jesus comeu na presença dos discípulos (Lc 24.41-43). Esse corpo ainda tinha até as marcas da cruz (Jo 20.20,24-27), entretanto era um corpo transformado. Não estava preso ao espaço nem ao tempo, podia aparecer e desaparecer (Lc 24.31; Jo 20.19,26).

 

Com a ressurreição física, Jesus passou novamente a ter unidade entre seu espírito, alma e corpo. Dessa maneira ele venceu a morte (1Co 15.54-57).

 

A ressureição é que produz a fé no Senhor

 

“Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”. Rm 10.9.

 

A fé dos discípulos “entrou em parafuso” depois da morte de Jesus (Jo 20.19,25; Lc 24.21,22). Essa fé foi restabelecida quando Jesus ressurreto apareceu aos discípulos (Jo 20.8,20).

 

Sem a ressurreição física quem creria no crucificado? Mas pela sua ressurreição, foi comprovado que Ele é o Filho de Deus (Rm 1.4; At 13.33) e o Juiz universal (At 17.31).

 

A ressurreição de Cristo é o fundamento de nossa união com Ele

 

A nossa fé em Jesus não é um simples pensamento da nossa mente, nem é uma mera aceitação mental das coisas que ouvimos sobre ele. Nossa fé n’Ele é poderosa, porque nos une a Ele. Toda nossa vida é “Em Cristo” (Paulo usa essa expressão 164 vezes). O pecador só pode ser abençoado pela obra de Cristo quando é Unido a Ele.

 

Entretanto, nós somos homens e a igreja, apesar de ser um organismo celestial, é um organismo humano (veja 1Co 15.48,49). Para que Jesus se tornasse o cabeça desse organismo humano, era necessário ser homem para sempre. Por isso necessitava de um corpo humano. Sem a ressurreição do corpo, Cristo teria deixado de ser humano. Pela ressurreição física, o Senhor tornou-se homem eternamente, com um corpo transfigurado e glorificado. Ele é agora o “homem do céu” (1Co 15.47), é o Filho do homem que está no meio dos candeeiros (Ap 1.13), é o Cabeça de uma nova raça (Ef 1.22,23). Aleluia!

 

A ressurreição de Cristo é, portanto, aquilo que faz a grande diferença entre a fé cristã e uma religião de homens. Homens como Buda, Maomé, Alan Kardek e outros, fundaram suas religiões. Mas onde eles estão hoje? Estão mortos.

 

Isso prova que eles não venceram o salário do pecado: a morte. Os seguidores desses homens estão sozinhos e não têm nada além de livros de regras e doutrinas. Esse livros não salvaram seus escritores, muito menos salvará seus seguidores. Mas nós não temos uma religião, um livro de doutrinas morto e sem poder. Temos uma pessoa viva que vive em nós e nós n’Ele. Essa é a esperança da glória (Cl 1.27).

 

A ressurreição de Jesus é a base de nossa ressurreição

 

“Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo. Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda”. 1Co 15.20-23

 

A ressurreição do corpo somente é possível pela ressurreição do Senhor Jesus. Pela sua ressurreição, Ele glorificou e transfigurou a humanidade n’Ele. Ele é as primícias (1Co 15.20,23; Cl 1.18). Sua vitória sobre a morte garante a nossa própria ressurreição (Rm 8.11; 1Ts 4.14). Seu corpo de glória é o padrão de nossos futuros corpos (Fp 3.20,21; 1Co 15.48,49). Glorioso é Jesus!

 

“Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita”. Rm 8.11.

 

“Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormem”. 1Ts 4.14.

 

Via Fazendo Discipulos

Please reload

Please reload

Arquivos