A amizade entre solteiros

No caminho para o casamento, pode haver três tipos de relacionamentos entre os solteiros: a amizade, a amizade com observação e a amizade com compromisso. A amizade O primeiro tipo de relacionamento é a amizade pura e simples, nada mais do que isso. O empenho dos rapazes e das moças é por desfrutar de um relacionamento sadio, livre de qualquer pressão emocional, para que cresçam e amadureçam no Senhor. O ambiente produzido entre rapazes e moças deve ser rico em amizade. Buscar essa boa comunhão onde os rapazes vão aprender a serem cavalheiros, gentis, cordiais e educados e onde as irmãs aprenderão a serem dóceis e discretas. Assim, todos crescerão sem pressões emocionais ou segundas intençõe

O padrão de Deus para os filhos

A vontade de Deus para os filhos é que obedeçam e honrem aos pais. No princípio, Deus havia criado o relacionamento de pais e filhos para ser uma elevada relação de amor, carinho e cuidado. Filhos felizes, supridos e pais alegres com a vida de seus filhos. Entretanto, como todas as áreas n a vida do homem, essa também foi estragada pelo pecado. Muitos jovens hoje são desobedientes e desrespeitosos com os pais, essa é uma tendência no mundo atual. Está escrito que nos últimos tempos os homens seriam “desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados” (2Tm 3.1-4). Mas, Deus quer conduzir a vida familiar de um discípulo, fornecendo-lhe tudo o que é necessário para que ele viva o seu

O cuidado com filhos adolescentes

A adolescência é uma etapa de muitas mudanças, tanto no corpo como na mente. Nessa época, o jovem começa a desenvolver a independência, tanto emocional como de proteção dos pais. Isso faz parte do caminho à maturidade. Mas, nesse tempo, há também a descoberta do mundo, o aumento das tentações da carne com suas paixões e dos conflitos de rebelião contra todo tipo de autoridade, inclusive a dos pais. Essa época também se reveste de especial importância porque, geralmente, é nela que o jovem toma sua decisão pessoal de ser um discípulo de Cristo para o resto da vida. É o tempo de levar os filhos a pensar em Deus e no futuro de suas vidas de forma madura. Alegra-te, jovem, na tua juventude, e re

A disciplina

Ef 6.4; Pv 3.12; 13.24; 19.18; 20.30; 22.15; 23.13,14; 29.15,17. O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que ama, cedo o disciplina. Pv 13.24. A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a afastará dela. Pv 22.15. Não retires da criança a disciplina pois se a fustigares com a vara, não morrerá. Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno. Pv 23.13-14. A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe. Pv 29.15. O exemplo, a amizade, o carinho, a instrução e as boas conversas dos pais não eliminam a necessidade da disciplina. Os filhos necessitam de disciplina quando desobedecem. Disciplinar é

A amizade e a instrução

A amizade dos pais. Quando eu era filho em companhia de meu pai, tenro e único diante de minha mãe, então, ele me ensinava e me dizia: Retenha o teu coração as minhas palavras; guarda os meus mandamentos e vive. Pv 4.3-4 a. Dar tempo e atenção Os filhos são prioridade na vida dos pais. São seu ministério mais importante. Eles devem saber do valor que eles têm para os pais e do prazer que lhes dão. Alguns pais preocupam-se apenas em dar sustento, casa, comida, estudo, roupas, saúde e presentes. Acham que já estão cumprindo o seu papel. Os filhos não têm apenas necessidades materiais, eles necessitam dos próprios pais que não podem ser substituídos por presentes, creches ou babás. Quando são p

A responsabilidade e o exemplo dos pais

Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele. Pv 22.6. Os pais são responsáveis pelos filhos. Criar filhos está entre as tarefas mais sublimes e desafiadoras desta terra. Os filhos não são nossos, são do Senhor. E o que eles serão para Deus no futuro depende diretamente do modo como os conduzimos agora (Pv 22.6; 2 Tm 3.14,15). Que tremenda responsabilidade! Os pais são responsáveis pelo futuro e eternidade dos filhos. O futuro de toda a nossa descendência depende de como criamos nossos filhos agora. Podemos trazer benção ou maldição para nossa casa. Abraão e Eli foram homens a quem Deus fez promessas (Gn 18.18-19 e 1Sm 2.12-17, 22-24, 28-30;

A comunicação no casamento

A comunicação no casamento O relacionamento do casal é muito belo e prazeroso quando há amor e respeito, quando cada um dá a sua vida pelo outro e há um entendimento entre eles, quando existe confiança íntima se refletindo em todas as áreas da vida – isso produz uma profunda harmonia. Uma relação assim fortalece e prepara o casal para enfrentar as lutas da vida, porque forma em cada um vigor, ânimo e fé. A comunicação no casamento é um elemento fundamental. É ingrediente de sustentação do relacionamento. Temos visto muitos problemas graves entre vários casais que poderiam ser solucionados ou mesmo evitados se houvesse um relacionamento de abertura, transparência e amizade. A falta de uma boa

Maledicência: O disfarce de um coração enganoso

Em 2004, estava retirado na Chapada Diamantina-Bahia, buscando ao Senhor, quando fui despertado por uma passagem que relata o pacto de Galeede feito por Jacó e Labão, tendo por testemunha o Senhor que os vigiava, que iriam cumprir uma aliança que dizia: “para mal não passarei para o lado de lá, e tu não passarás para cá”, “para o bem de seus filhos”. Assim, o Senhor me disse: “O problema mais sério da igreja hoje é a maledicência”. No princípio, eu não enxergava o tamanho da gravidade do desvio, até que observando e estudando vi o que de fato é esse ferino pecado: ABOMINAÇÃO! Trata-se de uma arma destruidora usada pelo inimigo e que “amigos” e “irmãos” a utilizam indiscriminadamente, de form

O padrão de Deus para o marido

Para desempenhar seu papel, Deus deixou três mandamentos ao homem: Amar a esposa é perder para ela ganhar, morrer para que ela viva. É sacrificar-se a si mesmo e buscar o bemestar dela. Amar a esposa, como Cristo amou a Igreja Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela. Ef 5.25. O Senhor estabelece o mais alto padrão de amor para o marido amar a sua esposa: “como Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela”. Nada poderia ser mais elevado. É o mais alto nível de amor, entrega e renúncia. Significa perder, para a esposa ganhar, ser envergonhado, para que ela seja honrada, morrer para que ela viva. A palavra grega “amor”, que aparece

O padrão de Deus para a esposa

Disse mais o Senhor Deus: não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea. Gn 2.18. A mulher sábia edifica a sua casa, mas a insensata, com as próprias mãos, a derriba. Pv 14.1. O Senhor, em sua Palavra, dá três mandamentos para a esposa: Submeter-se ao marido como a Cristo As mulheres sejam submissas ao seu próprio marido, como ao Senhor; porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o cabeça da igreja, sendo este mesmo salvador do corpo. Como, porém, a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo submissas ao seu marido. Ef 5.22-24. (Ler também Cl 3.18; 1Pe 3.1-6) A submissão está relacionada ao princípio de autoridade que

Os papéis dos cônjuges

Deus criou o homem e a mulher com estruturas física, emocional e psíquica diferentes, dando papéis bem definidos a cada um. Muitos problemas no casamento são causados pela falta de conhecimento do papel de cada cônjuge. Para que haja harmonia na vida familiar, é necessário que marido e mulher conheçam e aceitem seu próprio papel e o de seu cônjuge. Quero, entretanto, que saibais ser Cristo o cabeça de todo homem, e o homem, o cabeça da mulher, e Deus, o cabeça de Cristo. 1Co 11.3. Disse mais o Senhor Deus: não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea. Gn 2.18. Em sua sabedoria e amor infinitos, o Senhor Deus designou o homem para ser o cabeça e a mulher para

O casamento

Por isso, deixará o homem a seu pai e mãe e unir-se-á a sua mulher, e, com sua mulher, serão os dois uma só carne. De modo que já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não separe o homem. Mc 10.7-9. O casamento foi instituído por Deus O casamento não foi estabelecido por uma lei humana, nem inventado por alguma civilização. É uma instituição divina, estabelecida na criação. Ele antecede toda cultura, tradição, povo ou nação. O casamento não é uma sociedade entre duas partes, em que cada uma coloca as suas condições. Deus, que o criou, é quem estabelece as condições, não o homem ou a mulher. Nem os dois de comum acordo. Nem as leis do país. Quem se casa, deve aceitar as

Destaque
Recentes
Arquivos
Siga-nos:
  • Wix Facebook page
  • SoundCloud App Icon
  • YouTube Classic
  • Wix Twitter page
  • issuu.png
  • google_play_icon___logo_by_chrisbanks2-d4s1i75.png
  • Apple-App-Store-icon

© 2014 - Fazendo Discípulos / Todos os Direitos Reservados